Minas Gerais à beira do caos

Publicado por

Estado vive uma das maiores crises financeiras dos últimos anos. Governo culpa gestão anterior pela falta de gerenciamento

O jogo de empurra continua dentro do Estado de Minas. De um lado, Pimentel alega que a crise financeira é consequência da má administração do governo anterior. Do outro, a oposição acusa o governador pela quebra do Estado. Fato é que quem mais sofre com tudo isso são os servidores municipais e estaduais. A situação tem se tornada caótica e, a cada mês, a incerteza sobre o recebimento dos salários deixam todos apreensivos.

Servidores Estaduais

Os servidores estaduais estão vivendo um verdadeiro drama. Desde janeiro de 2016 eles têm seus salários escalonados. Mas, para piorar a situação, a tabela de pagamento (parcelada em 3 vezes), apesar de divulgada, não vem sendo cumprida. A quitação da última parcela do pagamento da folha referente ao mês de junho estava prevista para o dia 31, mas só foi concluída para todos os servidores, segundo ao governo, na tarde de ontem (7). A cada adiamento de uma parcela, há uma nova desculpa, verídica ou não, e quem sente é o servidor público. Em matéria divulgada pelo G1, os atrasos constantes nos pagamentos dos salários têm levado servidores estaduais à inadimplência.

A escala de pagamento para o mês de agosto já foi divulgada pelo governo A previsão é que o pagamento seja feito nos dias 16, 27 e 31.

Para funcionários da segurança pública e da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) a escala se mantém. Para quem recebe até R$3 mil o salário será pago integralmente em uma única parcela no próximo dia 16. Para quem recebe entre R$3 mil e R$6 mil, o restante da parcela será depositado no dia 27. Funcionários que recebem além de R$6 mil terá a última parcela efetuada no dia 31.

Já os demais servidores terão de esperar ainda mais para receber seus salários. De acordo com a Secretaria de Estado da Fazenda, o governo deverá pagar R$1,5 mil na primeira e na segunda parcela. O restante do pagamento deve ocorrer no dia 31 para todos os servidores.

Servidores Municipais

No último dia 3, prefeitos da Zona da Mata se reuniram para protestam contra o atraso de verbas estaduais. Funcionários municipais não estão recendo os seus salários em dia devido à falta de repasse do governo estadual.  Na manifestação, os prefeitos ressaltaram as dificuldades enfrentadas para cumprir o compromisso com os servidores e com a população.

“De todas as compras feitas em nossa cidade e da conta de energia, por exemplo, têm uma parte do imposto cobrado que o Estado tem obrigação legal de repassar para os municípios para cobrirmos gastos, como pagamento dos professores e manutenção dos serviços de saúde. Infelizmente, isso não está acontecendo”, Willian Lobo, prefeito de Cataguases em entrevista a TV Integração.

Alguns municípios já não conseguem fazer o repasse para serviços essenciais como escolas e hospitais. A situação é alarmante, a resposta vai ser dada nas urnas, daqui a dois meses.

Foto/reprodução: Os Novos Inconfidentes

resumo-autores-pedro-ewers-folha-da-terra-carangola

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s