Conheça cachoeiras da região para curtir o verão

Publicado por

Saiba quais são as mais populares, as mais estruturadas e as mais tranquilas nessa época do ano

Já que Minas não tem mar… Nada de bar. Vamos mesmo é para a cachoeira (que pode ter um bar rsrs)! Thalles Vecce, 28, está sempre na estrada rumo às águas naturais do Alto Caparaó (MG) ou de Patrimônio da Penha (ES). A conexão com a natureza é um dos motivos da galera que foge para essas regiões. O outro é o calor mesmo porque ninguém está aguentando mais. Parece até “Rio 40°C”, mas é “Carangola 33°C” mesmo.

“As mais indicadas são do Alto Caparaó, que é a parte do Rio Claro. Aí tem o Poço do Egito, Cachoeira do Rogério, dos Segredos… porque têm certa estrutura e não são tão lotadas. A das Andorinhas, que é a mais conhecida, tem estrutura de restaurante, banheiros, estacionamento, comporta não sei quantas pessoas… Acaba sendo mais direcionada para quem vai em família”, Thalles

Quem, assim como o Thalles, vai pra dar um rolê com a galera prefere cachoeiras que tenham mais belezas naturais, por vezes até mais vazias. “Tem muitas que são conhecidas pelo nome, mas se você andar por aquela região, vai encontrar diversos poços para nadar”, explica Thalles. Uma das dicas dele é ir na Cachoeira do Rogério por ter um bom estacionamento, restaurante, área de camping, chalé, poços para você nadar e tem acesso fácil. A maioria tem um custo de entrada bem acessível, por volta de dez reais, mas não pode entrar com bebida.

“Atualmente, o Poço do Egito não tem nem um restaurante direito. Da última vez que fui me serviram só um cafezinho pra ser bem sincero. Além disso, não pode entrar com bebida alcoólica e não vendem isso lá. Essa parte da bebida não é só uma questão comercial, é pra segurança também. A ideia de uma pessoa alcoolizada andando naquelas pedras é absurda. É perigoso!”, Thalles

cachoeiras-rio-claro-alto-caparao-patrimonio-da-penha-verao-carangola-autora-mayra-russo-foto-thalles-vecce-arquivo-pessoal (2)

VIBES ROOTS

O lado de Patrimônio da Penha ganha é na cultura. Com artesanatos locais, hippies e festivais roots, a galera vai para lá para curtir uma vibe mais natureza. “Lá você encontra muita gente com a mesma energia no sentindo de gostar de natureza, de explorar, de viver. Mas vê de tudo lá: família, adolescente, casal, idoso…”, conta Thalles. A vibração que passam em Patrimônio é tão gostosa que tem gente de tudo quanto é canto querendo fazer um rolê por aquela área até mesmo por questões espirituais e religiosas.

“Muitos vão pra ficar vários dias acampado, desconectado mesmo, só curtindo a natureza. Tem uma parte meio gourmetizada já, que os valores são bem altos para fazer essas coisas. Apesar de ser caro é uma situação incrível também, então vale a pena”, Thalles

CUIDE DO QUE É NOSSO!

Muitas dessas cachoeiras são próximas a áreas de preservação ambiental, por isso há algumas restrições para não poluir o local. “Deve ter observação também do ICMBio em relação a como deve ser a visitação desses espaços”, pontua Thalles. Como às vezes trocam os responsáveis por certas cachoeiras, eles acabam lidando diferente de época pra época nessa questão do que pode ser levado pra lá. O fato de não poder levar comida, por exemplo, é para evitar que caia nos poços e suje o ambiente.

“Vejo gente deixando lixo para trás e isso é muito triste. Ainda existe uma galera que está dando o rolê, vê uma guimba de cigarro ou uma latinha e pega para jogar na lixeira. Teve um dia que cheguei numa cachoeira no Alto Caparaó e vi o pessoal fazendo churrasco na beira e limpando a grelha na água. Me parte o coração! Gosto muito do turismo ecológico, mas acho que tem que ser uma coisa sustentável. O grande problema desse tipo de turismo, hoje em dia, é quem vai fazer isso mas sem a consciência de manter a natureza limpa”, Thalles

Acima do Poço do Egito tem a Poço das Antas, que é área de preservação ambiental. Ninguém pode entrar. Thalles chegou a ir uma vez, mas a fiscalização chegou e o rolê acabou por ali. O que o deixa indignado é que o local é fechado porque o Estado não tem condições de prover uma visitação saudável pro lugar. “De certa forma, eu entendo porque é foda ver um poço tão lindo ser destruído. Mas, por outro lado, uma cachoeira dessas está há quantos milhões de anos aí, a gente vai morrer e não vai conseguir ir porque o Estado não pode prover uma visitação?”, questiona ele. São pontos que devem ser ressaltados e cobrados ao governo do mesmo jeito que podemos fazer a nossa parte e cuidar do que é nosso. Só o fato de não deixar lixo para trás ou de não usar bronzeadores na água, já ajuda a manter a cachoeira do jeitinho que você (e todo mundo) gosta: cristalina.

cachoeiras-rio-claro-alto-caparao-patrimonio-da-penha-verao-carangola-autora-mayra-russo-foto-thalles-vecce-arquivo-pessoal (3)

LISTANDO O ROLÊ

– Na região de Rio Claro:

  • Andorinhas
  • Camping Rio Claro
  • Cachoeira do Rogério
  • Cachoeira dos Segredos
  • Poço do Egito

– Na região do Parque Nacional do Caparaó:

  • Vale Verde
  • Vale Encantado

– Patrimônio da Penha:

  • Cachoeiras de Patrimônio da Penha
  • Casa de Vidro
  • Portal do Céu

Fotos: arquivo pessoal do Thalles Vecce

 

resumo-autores-mayra-russo-folha-da-terra-carangola

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.